Logo LAAD 2018

Crimes virtuais provocam perda anual de US$ 8 bilhões a empresas brasileiras

O cenário vem incentivando os investimentos no segmento de cibersegurança, que deve movimentar US$ 7,29 bilhões até 2019. Empresas vão apresentar soluções no Cluster de Cyber Security da LAAD Security 2016, que acontece na próxima semana no Rio de Janeiro.

A América Latina tem sido cada vez mais alvo de ataques virtuais e o Brasil é um dos principais focos. De acordo com estudo realizado pela Cybersecurity Ventures, o País perde mais de US$ 8 bilhões por ano por conta de crimes na internet, o que o torna a segunda maior fonte de cibercrimes no mundo e o número um na América Latina. De acordo com o levantamento, o mercado latino-americano de cibersegurança deve crescer de US$ 5,29 bilhões (valor registrado em 2014) para US$ 11,91 bilhões até 2019. Somente o mercado brasileiro de segurança digital deve atingir US$ 7,29 bilhões nesse mesmo período.

Esse é o cenário de estreia do Cluster de Cyber Security da LAAD Security 2016 – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, que acontece de 12 a 14 de abril no Riocentro, Rio de Janeiro. Na oportunidade, empresas do segmento como a RustCon, Kriptus, Kudelski Security, NEC, Suntech e Unisys vão apresentar soluções segurança cibernética para o mercado latino-americano.

Especializada na criação de soluções que ajudam órgãos e instituições em todo o mundo no combate ao crime, terror e ameaças cibernéticas, a Suntech vai expor a plataforma de proteção projetada para atuar em todas as etapas do ciclo do ataque, provendo as ferramentas necessárias para vencer a batalha cibernética. A solução fornece às organizações detecção abrangente, priorização, investigação automatizada e proteção contra ataques avançados, ajudando os Centros de Operações de Segurança Cibernética (CSOC) a identificar, analisar e neutralizar ameaças mais rapidamente, prevenindo, também, ataques futuros.

Outra expositora, a Kryptus desenvolve, integra e implanta uma gama de soluções de hardware, firmware e software, incluindo desde semicondutores até sistemas complexos de gestão de processos com certificação digital, contando com um time de desenvolvimento altamente qualificado nas áreas de Engenharia Criptográfica e Segurança da Informação. Na LAAD vai lançar soluções de commsec e secure 4G, em especial o KeyGuardian, um token criptográfico USB de alto desempenho.

O Grupo Kudelski fornece serviços de segurança cibernética de especialistas para os setores militares e de defesa e vai apresentar soluções de certificação digital, consultoria de segurança, cyber fusion center, comunicação unificada segura para voz e mensagens instantâneas e rede destacável banda larga sem fio end-to-end 4G-LTE.

A NEC emprega sua vasta experiência prática em sistemas complexos de segurança, para fornecer uma ampla gama de soluções NEC Cyber Security Solutions, que protegem ambientes de TIC de ataques cibernéticos cada vez mais sofisticados.

Fronteiras -  A empresa global de tecnologia da informação Unisys traz  à LAAD como conferencista, um dos maiores especialistas do mundo em segurança digital, Tom Patterson, que atua como Vice-Presidente Global de Soluções de Segurança. No dia 13, às 14h30, ele fará uma apresentação com foco em tecnologias como a micro segmentação e novas abordagens para ampliar a segurança em aeroportos, infraestruturas públicas (água, gás e energia) e para o controle de fronteiras.

Entre os recentes projetos de segurança pública implementados pela Unisys no mundo que serão apresentados na LAAD estão o sistema de controle da fronteira terrestre entre EUA e México, o sistema de reconhecimento facial nos aeroportos internacionais JFK (Nova York) e Dulles (Washington D.C.) e a infraestrutura tecnológica para os 13 Centros Integrados de Comando e Controle construídos para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil. A empresa acaba de lançar na Europa uma plataforma de tecnologia que pode ser utilizada por governos para gerenciar o fluxo migratório de refugiados.

Vulnerabilidades  - A RustCon, empresa  focada em soluções complexas de produtos, serviços e projetos de alta tecnologia, que vai apresentar  a Cyber Range Operations Platform (SIMOC), projeto realizado em conjunto com o Exército Brasileiro, que permite a criação de uma réplica precisa de uma infraestrutura de rede para analisar e explorar vulnerabilidades. O objetivo é o de identificar como a rede irá se comportar diante de um ataque real, além de permitir a implementação de técnicas de hardening para proteger os Assets contra artefatos maliciosos.

Outro destaque da RustCon é o Simulador de Operações de Comando e Controle, solução estratégica de apoio ao monitoramento de fronteiras do país, a maior iniciativa neste segmento no mundo. Suportada por camadas de simulação, inteligência e de gestão do conhecimento, apoia de forma estruturada os processos de planejamento, aquisição, operação e capacitação de pessoal para expansão do monitoramento ao longo do país.

Seminário -  O assunto será tema, também, do Painel  “Estratégias de Cyber Security e Guerra da Informação”, que faz parte do V Seminário de Segurança LAAD, realizado paralelamente à LAAD Security 2016. O consultor em Inteligência e Desenvolvimento de Sistemas Estratégicos do Instituto Sagres - Política e Gestão Estratégicas Aplicadas, Humberto de Sá Garay, vai abordar a utilização estratégica da Netnografia (técnica que analisa o comportamento de indivíduos na Internet) e a análise de redes sociais como instrumento para a produção de inteligência no ciberespaço, tendo por base os protestos e recentes manifestações sociais no Brasil e as ações terroristas ocorridas em Paris em novembro de 2015.

Ele vai, também, fazer um paralelo entre estes fatos e o cenário da interceptação telefônica e de dados (financeiros e de redes sociais) em operações de inteligência e investigação criminal complexa em fraudes corporativas e delitos econômicos e de corrupção. “Nosso país possui um terreno fértil para cyber security. Entretanto, de forma geral, o Brasil é despojado de planejamento e ações integradas, no âmbito público e privado, para a adoção de uma estratégia transinstitucional que motive transversalmente o crescimento intelectual pela inovação e o acompanhamento do avanço tecnológico”, avalia.

Sobre a LAAD Security
A LAAD Security – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa – reúne empresas nacionais e internacionais que fornecem tecnologias, equipamentos e serviços para Segurança Pública, Forças Policiais, Forças Especiais, Forças Armadas, Law Enforcement, Homeland Security e gestão de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica do Brasil e América Latina.

O evento, que deverá receber 12 mil profissionais, reunirá mais de 100 marcas apresentando soluções em autenticação, controle de acesso e vigilância; emergência, salvamento e resgate; equipamentos pessoais e táticos; cyber security; ópticos e optrônicos; munição e armamento; perícia criminal e forense; transmissão e comunicação; veículos; entre outras.

Clarion Events
Por mais de 65 anos, a Clarion Events dedica-se à promoção e organização de feiras de negócios, eventos e congressos. Reúne aproximadamente 700 mil pessoas e 12 mil expositores e patrocinadores em mais de 200 eventos realizados ao redor do mundo. A Clarion Events tem presença global – atua em 12 escritórios em 9 países diferentes e está no Brasil desde 2008.

Serviço:
LAAD Security 2016 - Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa
Data: 12, 13 e 14 de Abril de 2016
Local: Riocentro - Pavilhão 4 - Av. Salvador Allende, 6.555 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Horário da Exposição: 12 e 13 de Abril - das 10h às 18h e 14 de Abril - das 10h às 17h

Assessoria de Imprensa – LAAD Security 2016
Conteúdo Empresarial – Comunicação Integrada
11 - 3230-7434 / 13 – 3304.7437 - 3304.7438

Atendimento à Imprensa:

Alessandro Padin
alessandro@conteudoempresarial.com.br
13 - 99111.0663
SKYPE: alessandro_padin

Valeria Bursztein
valeria@conteudoempresarial.com.br
11 - 99104-2031
SKYPE: vbursztein