Logo LAAD 2018

Estado de S. Paulo terá 1 mil PMs por dia para ajudar no combate ao Aedes Aegypti

Parceria entre secretarias da Segurança e da Saúde criará novas vagas para diárias especiais, em que policiais militares atuam fora da jornada normal

São Paulo, 07/12/2015 - As secretarias estaduais da Segurança Pública e da Saúde assinarão em breve um convênio para a criação de mais 1.000 vagas por dia para a Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (Dejem), com o objetivo de reforçar o apoio de policiais aos agentes de saúde de todo o Estado de São Paulo, especialmente no combate ao mosquito Aedes Aegypti.

Dessa forma, mais médicos do Hospital da Polícia Militar estarão à disposição do Estado para combater o mosquito, que é transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus. A medida, anunciada hoje (7), faz parte do Plano Estadual de Combate às Arboviroses, coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde em parceria com outras 11 pastas, entre elas, a SSP.

Além da PM, a Defesa Civil também se unirá aos agentes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), para que juntos ampliem o número de vistorias de locais com possíveis criadouros do Aedes Aegypti , orientando moradores quanto à prevenção e removendo possíveis larvas do mosquito.

Diária Especial

Na Dejem, cada PM pode trabalhar até oito horas por dia (fora da jornada normal), por até 10 dias no mês, para que o serviço extraordinário não prejudique o descanso. A remuneração atual é de R$ 204 para oficiais e de R$ 170 para soldados, se cumpridas as oito horas de trabalho.

A Diária Especial foi criada pelo governador Geraldo Alckmin em dezembro de 2013 e conta hoje com 3.273 vagas para todo o Estado. Além do policiamento especial em auxílio à Secretaria da Saúde, as ações da Polícia Militar em regime especial, a Dejem, também contemplam o patrulhamento de fóruns e unidades da Fundação Casa, além de atendimento no 190.

Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública